TubaVent

Solução eficaz para acabar com a pressão nos ouvidos

Catéteres TubaVent para dilatação das Trompas de Eustáquio

TubaVent

Solução eficaz para acabar com a pressão nos ouvidos

Catéteres TubaVent para dilatação das Trompas de Eustáquio

O desequilíbrio da pressão no ouvido

Quase todas as pessoas terão já experimentado a sensação de ter os ouvidos tapados ou de ter pressão nos mesmos (ex.: durante a descolagem ou aterragem dum voo; ao passar num túnel a maior velocidade – em viagens de comboio, por exemplo; ou até mesmo numa simples caminhada ao ar livre, quando seja em alturas elevadas, como montanhas. É ainda um efeito muito sentido por mergulhadores.

Normalmente é incómodo, mas, na maior parte dos episódios, conseguimos aliviar a dor mastigando uma pastilha, abrindo a boca algumas vezes, ou mesmo bocejando. De qualquer forma, haverá uma percentagem de 1% de adultos que sofrem de Disfunção Crónica da Trompa de Eustáquio, onde os sintomas persistem continuadamente e lhes causam uma sensação de pressão permanente no ouvido ou uma surdez permanente.

Disfunção da Trompa de Eustáquio

Dentro do ouvido...

Os problemas de desequilíbrio da pressão no ouvido são frequentemente causados pela deficiência na abertura da Trompa (canal que liga as fossas nasais ao ouvido médio e permite a sua necessária ventilação). 

A Trompa também pode ser referida como trompa auditiva ou “trompa farinjotimpânica” e os problemas associados também são conhecidos como “disfunção da ventilação da trompa”.  

O que é a Disfunção da Trompa de Eustáquio?

A trompa de Eustáquio é uma estrutura pequena, com forma de tubo, que une a cavidade nasofaríngea ao ouvido médio. É composta por uma parte considerável de cartilagem que tem movimento, i.e., alarga-se para permitir a necessária ventilação. A parte óssea da Trompa é pequena e está junto ao tímpano. 

Cada vez que engolimos, esta estrutura abre-se e fecha-se ligeiramente de forma quase simultânea. Este movimiento pode alcançar o equilíbrio da pressão entre o ouvido médio e o ouvido externo. Quando acontece, geralmente ouve-se um "clic”. 

Se a Trompa de Eustáquio não abre correctamente, o equilíbrio da pressão não pode ser alcançado, dando origem a uma sensação de incómodo, pressão nos ouvidos ou surdez.

Quando a disfunção persiste, tem de ser tratada

Bielefeld- TubaVent

As pessoas que sintam transtorno ou disfunção do equilibrio da pressão no ouvido, devem consultar um especialista de Otorrinolaringologia. O especialista de ORL (Otorrinolaringologia) é o profissional indicado para realizar os testes necessários à elaboração do diagnóstico e do plano de tratamento indicado para combater os sintomas.

Em alguns casos, para alívio dos sintomas, pode ser indicado o procedimento de dilatação da Trompa de Eustáquio com utilização de um catéter TubaVent. 

 

Dilatação da Trompa de Eustáquio com o catéter TubaVent: um tratamento inovador

Dilatación de la trompa de Eustaquio con el catéter Bielefeld

A Dilatação da Trompa de Eustáquio com o catéter TubaVent é o tratamento mais inovador para a Disfunção Crónica da Trompa de Eustáquio.

O procedimento é realizado com anestesia geral, e é utilizado um balão (catéter) para dilatar a  Trompa de Eustáquio do paciente – o catéter é introduzido pelo nariz.

O balão é insuflado até uma pressão de 10bar durante dois minutos, e como resultado será alcançada a dilatação do estreitamento da Trompa.

Na maioria dos casos, a dilatação conseguida recupera satisfatoriamente a função da Trompa, permitindo a necessária ventilação e o equilíbrio das pressões nos ouvidos médio e externo. 

Recomendações para o paciente: cuidados pos-operatórios

TubaVent

Para cuidados posteriores à dilatação da Trompa de Eustáquio com balão remomenda-se o seguinte:

Nas primeiras 24 horas depois da intervenção aconselha-se não assoar o nariz, não espirrar de boca fechada. 

Passadas as primeiras 24 horas da cirurgia e durante o primeiro mês, recomenda-se o seguinte: 

1. Fazer manobras de Valsalva* repetidas para ajudar a treinar regularmente a ventilação das Trompas de Eustáquio. A experiencia sugere repetição desta manobra umas 3-5 vezes ao dia. 

2. Fazer lavagens nasais frequentes  

*Se no mesmo prodecimento de dilatação foi realizada alguma intervenção cirúrgica no ouvio médio (por ex.: miringoplastia ou timpanoplastia), não se recomenda fazer a manobra de Valsalva durante o mês seguinte à intervenção. 

Manobra de Valsalva

Aperte as fossas nasais e mantenha a boca fechada, ao mesmo tempo que tensa os músculos do estômago, deve exalar como se estivesse a soprar pelo nariz.

Esta manobra contribui para o equilíbrio da pressão entre os ouvidos e para a dilatação das trompas de Eustáquio.

O especialista em ORL é o profissional indicado para dizer ao paciente quantas vezes deve realizar a “manobra de Valsalva” ao longo do dia.


 

Perguntas frequentes

Quando vou notar melhorias? A partir das 4-6 semanas após a intervenção. No entanto, o seu médico irá realizar o seguimento nas revisões posteriores para avaliar a eficácia clínica. 

Posso voar ou praticar mergulho? Sim, mas deve aguardar pelo menos um mês após a intervenção. No caso de miringoplastia, deve aguardar dois meses. 

Posso tomar um duche? Sim, ao contrário dos tubos de ventilação, pode tomar um duche sem nenhum cuidado especial. 

Posso ouvir zumbidos no ouvido ou sentir desconforto? Sim, recorde que o acufeno preexistente pode aumentar, como uma sensação de zumbido, mas este deve ser considerado como um bom sinal da eficácia da dilatação.

Aviso legal

A informação contida neste website é de carácter informativo, não deve ser considerada como conselho médico profissional. Por favor, consulte o seu médico se tiver qualquer dúvida sobre a doença, o diagnóstico ou o tratamento.

Copyright © 2016 SHDM – DISPOSITIVOS MÉDICOS PORTUGAL - DESIGN TheConcept